terça-feira, 27 de setembro de 2011

Texto Descritivo

Turminha do 7° ano do QI, abaixo segue a postagem referente gênero textual abordado em sala de aula (texto descritivo).

leiam, estudem, imprimam e levem para a escola na próxima sexta, ok?

Um abraço e até sexta!


Texto Descritivo


Você sabe o que é uma descrição ?

A descrição é um tipo de textoque procura retratar, através de palavras, as características de uma pessoa, de umobjeto, de um animal, de uma paisagemou de uma situação qualquer.Um bom texto descritivo é aquele que permite que o ser descrito sejaidentificado pelo que ele tem departicular, de característico em relaçãoaos outros seres da mesma espécie.


Por meio de um texto descritivos vamos passar a informação que não pode ser visualizada, por meio da figura linguística, podemos demonstrar sentimentos entre outras possibilidades.
Dentro dos textos, eles podem ser classificados em descritivos, narrativos e dissertativos, para elaborar um texto descritivo é importante que todos os detalhes sejam passados por meio das palavras.


O texto descritivo por excelência, consiste em uma percepção sensorial, representada pelos cinco sentidos (visão, tato, paladar, olfato e audição) no intuito de relatar as impressões capturadas com base em uma pessoa, objeto, animal, lugar ou mesmo um determinado acontecimento do cotidiano. É como se fosse uma fotografia traduzida por meio de palavras, sendo que estas são “ornamentadas” de riquíssimos detalhes, de modo a propiciar a criação de uma imagem do objeto descrito na mente do leitor.


A descrição pode ser retratada apoiando-se sob dois pontos de vista: o objetivo e o subjetivo.

Na descrição objetiva, como literalmente ela traduz, o objetivo principal é relatar as características do “objeto” de modo preciso, isentando-se de comentários pessoais ou atribuições de quaisquer termos que possibilitem a múltiplas interpretações.A subjetiva perfaz-se de uma linguagem mais pessoal, na qual são permitidas opiniões, expressão de sentimentos e emoções e o emprego de construções livres em que revelem um “toque” de individualismo por parte de quem a descreve.


Exemplo de texto descritivo:


O cachorro engraçadinho

Cecília Meirelles


Há coisa mais triste que um menino sem irmãos nem companheiros, fechado num apartamento ? Foi por isso que a família resolveu arranjar umcachorrinho para brincar com o filho único. Os brinquedos, afinal, sãomáquinas e acabam por enfastiar; o cachorrinho é um brinquedo vivo, quase humano, o melhor amigo do homem etc. E veio o cachorrinho, muitoengraçadinho. Todos os cercaram, encantadíssimos. Dizem que os cãessempre se parecem com os seus donos: este parecia-se com os donos, com os amigos dos donos e até com os empregados da casa. Não se pode ser mais amável. Era pretinho, lustroso, com umas malhas cor de mel em certos lugares do focinho e do corpo. Orelhas sedosas e moles, e um rabinho que o menino logo descobriu poder funcionar como manivela. E assim o utilizou.

O cachorrinho também parecia contentíssimo, e pulava para cá e para lá, e às vezes parecia um cavalinho em miniatura. Mas era uma miniatura Pinscher.

Não era só engraçadíssimo; era inteligentíssimo. Se lhe ensinassem, creio que chegaria a atender o telefone. Instalou-se no apartamento como se fosse o seu principal habitante. A vida passou a girar em torno dele. Deram lhe coleira, casaquinho, osso artificial para brincar, puseram-lhe nome,compraram-lhe biscoitos. Pensando bem, era muito mais feliz que o menino de cuja felicidade se cogitava. Talvez ele até entendesse o que diziam a seu respeito, pois a cozinheira reparou que sua inteligência excedia a dascriaturas humanas. Via-o fitar um ponto no vazio, acompanhar uma presença invisível, para a qual latia, demonstrando ser um animal dotado de poderes sobrenaturais: um cãozinho vidente. Nessas condições, nem precisavaentender a nossa linguagem: podia captar diretamente os pensamentos...

O cachorrinho engraçadinho recebia as visitas com grande efusão.Mordia-as de brincadeira nas pernas e nos braços, às vezes puxava um fiode meia - mas era muito engraçadinho - dava saltos verticais que nem umbailarino, e, como estava na muda dos dentes, babava as pessoas com muito entusiasmo e de vez em quando deixava cair por cima delas um de seusdentinhos, tão brancos e primorosos que pareciam de matéria plástica.

Além de receber as visitas, o cachorrinho engraçadinho sentava-se ao lado delas, acompanhava com os olhos as suas expressões, despedia-se delas com muita gentileza.

Acostumou-se de tal modo à família que não quis mais dormir sozinho, passou a ocupar o melhor lugar das camas, como ocupava o das poltronas. E quis também comer à mesa, escolhendo uma cadeira e colocando as patinhas no lugar que a etiqueta recomenda, e que já bem poucas pessoasconhecem como se pode observar em qualquer restaurante.

Até certo ponto o cachorrinho engraçadinho foi um divertimento, salvo quando molhava os tapetes ou as almofadas.¸

Nenhum comentário:

Postar um comentário